O Causo do Lambisome

Esse caso, se chama, O Lambisame Quem num sabe, o lambisame, é aquele homi, que nas noite de lua cheia, ele se transforma. O corpo dele, se enche de pelo, igual Tony Ramos. A cara dele, toma aquela forma grotesca, igual a cara de Ronaldinho Gaucho. Cê besta!!! E ele sai a noite, uivanu, pra lambê os homi. Por isso que fala: lambisame. Que no latim significa: que lambi os homi. Eu tava doido pá cunhecê uma fazenda Que chama Fazenda Óios D'água Mai diz que por lá aparecia o tal do lambisame. Grass a Deus minino, ganhei um jumentin que eu batizei ele de Juscelino Kóbischeki Fui então convencer ele a levar eu na Fazenda Óios D'água Falei: Juscelino, ôcê vai ter que levar eu lá na Fazenda Óios D'água Aí o jumento: Ufffzz Eu falei: Ufffzz, ôcê mermo! Tava com medo, por causa dos boato do lambisame paquelas banda né. Mai inventei pra ele que ia tê uma mula linda. Falei: Ô Juscelino, cê besta! Cê vai gostá de lá demais. Tem uma mula linda. O nome dela é Julesca. Gisele Bündchen num chega nem na pata de trás dela. Aí que o jumento agradou mais gente. Aprontei a malmita, a lamparina, o trem de fazê o acampamento. Muntei-me em Juscelino, e nós foi fôno, foi fôno, foi fôno. Gente! Na hora que chegou na entrada da Fazenda Óios D'água, Mai tinha uma quaresmera linda. Mai numa gáia dela tinha uma tora duma caixa de biribondo. Eu num sei quê que aquele jumento daquele Juscelino arranjô Que a aba do meu chapéu acertou na caixa do biribondo. A bão. Aquilo que os biribondo, saiu pra fora igual uns Bad Boy Tudo rupiado, com as mão no bolso. E é daqueles biribondo cavalo, quando frecha na pessoa, engorda ela é 3 quilo. Tão inchada que a pessoa fica. Eu num tive nada não gente, mais Juscelino Kóbischeki Os biribondo, frecho tudo na pôpa de Juscelino Aquilo que o jumento saiu foi torano as gáia no peito, Que eu achei que já tava era em cima do toro Bandido. Quando pensa que não!!! Juscelino rebentou a porta duma casa Nós tava no mei da sala, cum o povo armoçanu O véi e a fia dele. A bão! Aquilo que o véi levanto parecia era que cuspia mais biribondo. Falei: Pronto. Agora tenho que acalmar Juscelino, que num para de coiçá os móvel do véi, E o veio, mais Grass a Deus, eu fiz o curso do Instituto Universal Brasileiro "Quem qué, consegue", Farmacêutico Peguei então a fôia in chicória Passei na chupeta, lasquei na boca de Juscelino. Peguei uma cachaça da boa, Mariana. Coloquei sonífero de sossega lião. Dei pro véi bebê. O véi bebeu, apago Enquanto isso fiquei prusiano com a fia dele Pedinu descurpa. Que eu tava ali era querenu fazê acampamento Mai infelizmente, os biribondo, frechô tudo na pôpa de Juscelino, rebento a porta da casa dela. Ela falô que num tinha pobrema não, que ela até ajudava eu pedi o pai dela descurpa .... (suspiro) Cumecei apaxoná cum ela Sabe quando você ta cunversanu com a pessoa Cê começa apaxoná cum ela? Era eu com a fia do véi. Aquilo teve uma hora que eu achei que já tava era namoranu cum ela e num sabia Quando pensa que não!!! O véi vai, levanta. O nome dele era Seu Tião Inda bem que ele tava sob efeito do sonífero, da cachaça. Cumecei denovo, pedi descurpa, que eu tava ali querenu fazê campamento Mai infelizmente, os biribondo, frechô tudo na popa de Juscelino, rebento a porta da casa dele. O véi falou que num tinha pobrema não Que ele até acampava comigo mais tarde Era só eu compra outra porta pra casa dele. Falei: Uai, então ta bão. Deixei Juscelino Kóbischeki com a fia do Seu Tião. Fui na venda comprar a porta. Minino, na hora que cheguei lá, o vendedô fazendo fuxico: Sinhôzin ta dizendo que essa porta é pra casa do Seu Tião? Falei: É uai, quê que tem? Cê ta doido, cê num sabe não? Falei: Quê que é trem? Num me pavora não! Cê num sabe não? Seu Tião é lambisame. Falei: Cê besta!!! Valei-me São Francisco, defendei-me dos animal!!! Aquilo que meus zóio começou a enchê d'água, escorrê lágrima Aí que eu fui entendê o porquê que aquela fazenda chama: Fazenda Óios D'água Eu com os zóio cheio d'água, aquela porta debaixo do braço Falei: Anota aí pra mim que eu num tô em condição de pagá agora não Peguei a porta choranu, fui pra casa de Juscelino Fui direto na orêia de Juscelino Falei: Juscelino de Deus, Seu Tião é lambisame Aí Juscelino: Ufffzzzz, deu um coice que a chupeta dele foi para na boca da fia de Seu Tião Fui virá pro véi gente, pra tentar fazer o revertério do combinado de acampa comigo mais tarde Falei: Ô Sô Tião, aneinn. Deixa esse trem de acampamento pra outro dia. O véi rino, babanu, com a boca espumano que ele lambeu maios tarde: Nã nã nã não! Tem que ser hoje. A lua vai ta cheia, o céu crarinho. Assim que é bão. Falei: Ô Sô Tião, mais, aneinn. Então leva Juscelino Aí Juscelino: Ufffzz, ufffzzz, ufffzzz Ele: Nã nã não, Juscelino Kóbischeki vai oiá minha fia, eu quero ir é com cê. Falei: Ô Sô Tião, mais eu tenho uma cólica danada. - tentano fazê o úrtimo reverterio da situação. O véi gente, enfiou a mão no bolso rino, tirou um comprimidin rino, cantano, balançano e falou assim: Eu tenho um remedin que é muito bão, é só cê tomá "Atroveran, tomo passo, Atroveran, tomo passo" E eu tomei mermo, eu tomei taca, falei: Então ta bão. Prontei a malmita, a lamparina, deixei Juscelino Kóbischeki com a fia do Seu Tião. Peguei os trem de fazê a barraca, e nós foi fôno gente, foi fôno, um breu mata a dentro Aquilo que eu num enxergava nada Eu na frente, Seu Tião atrás, bufanu no meu cangote, aquilo que eu rupiava até a alma N'ora que chego onde ia apronta as barraca, Prontei correnu a minha, entrei pra dentro Quando pensa que não Faltanu 5 minuto pra meia noite Seu Tião batenu na minha barraca TOC TOC TOC TOC Zezinho TOC TOC TOC Zezinho Aneinn, intimidade!!! Zezinho Falei: Quê que é trem? É porque minha barraca desamontô, eu vai tê que dormi com cê Falei: Aneinnn, mas, num tem jeito de nós amonta essa barraca não, Sô Tião? Nã não, que num quebro, que eu terminei de quebra foi de raiva Falei: Então ta bão, entra. Gente, aquilo que o Seu Tião entrou que eu nem oiava pra cara dele Ele viro prum lado, eu pro outro Quando pensa que não!!! No relogin marca as hora Danu meia noite DÃO DÃO DÃO Aquilo, cada hora que fazia DÃO, o Sô Tião: AUUULLL AUUUULL No relogin: DÃO DÃO DÃO Aquilo, cada hora que fazia DÃO, escorria era ***** perna abaixo Quando ôiei pra cara dele, n'éra ele não gente O corpo cheio de pelo igual Tony Ramos Aquela cara grotesca de Ronaldinho Gaucho Falei: Cê besta! Virô o trem e vai lembê eu! Falei: Ô Sô Tião, ôiei bem pra cara dele Falei: Esse zóio, pra que esse zóio tão grande? Ele: É pra mim te vê melhor Falei: Ô Sô Tião, aneinn, esse nariz, pra quê esse nariz tão grande? Ele: É pra mim te cheirar melhor Falei: Ô Sô Tião, aneinn, mais, essa boca, pra que essa boca tão grande? Ele: É pra mim te cume! Gente!!! Aquilo que eu saí foi torano a barraca no peito Eu correnu, lambisame atrás, eu correnu, lambisame atrás Quando pensa que não!!!!!! Escorreguei na *****! Na MINHA *****!!! Só escutei a lambida nas costa UUUUUUFFXXXXX Falei: Pronto, virei o trem, lembeu eu Aquilo que eu estiquei léguas, o lambisame ficou pra trás Cheguei na casa dele, primeiro que ele Juscelino Kóbischeki conversanu com a fia do Seu Tião Comigo o jumento só falava: Uffzz Com ela ele ta assim: Uai, cume cê chama? Aí ela: Julesca Eu falei: O quê??? É, eu sou a sétima filha mulher do Seu Tião As outras seis moram na cidade Eu pensei: Gente, pelo amor de Deus! A sétima fia mulher dum casal, quê que esse trem vira? Fui campa com o lambisame, apaxonei pela mula-sem-cabeça Falei: Juscelino de Deus, vamo embora daqui agora! A fia do Seu Tião: Não, mais quem é que vai pagá a porta? Falei: Não, deixa lá que, Juscelino Kóbricheque!


  (0)   Comment